terça-feira, 16 de agosto de 2011

O RABINO

Um velho rabino encontrava-se em uma fila, no interior de uma grande estação de trem em Israel. Era meio dia e o sol a pino tornava o ar abafado no local repleto de pessoas. Neste momento, passou um dos seus discípulos que ao ver o mestre curvado sobre o cajado se compadeceu dele.
Ao aproximar-se, disse: "Mestre, por gentileza, sente-se um pouco aqui na sombra e descanse. Eu irei até lá pegar a sua passagem."
O mestre sentou e agradeceu ao jovem. O discípulo rompeu toda a fila e, após 30 minutos, trouxe a passagem.
O mestre sorriu e o agradeceu: "Obrigado meu filho. Deus te abençoe por isso."

Uma vez com a passagem nas mãos, o rabino ergueu-se e dirigiu-se para o trem. Ao ver isso o discípulo perturbou-se, tocou o velho judeu e falou: "Mestre, perdoe-me, mas eu também vou viajar. Estou indo para outra cidade. Entretanto, eu usei todo o dinheiro que possuía para comprar a passagem para o senhor. Creio que você não me entendeu. Eu fiz o favor de pegar a passagem para você, mas não disse que ia oferecê-la de graça. Agora eu estou sem dinheiro para viajar."

Ao que o rabino arrematou: "Meu filho, você não tem dinheiro para viajar? Eu também não. Como preciso visitar um parente doente em uma cidade próxima, eu fui para a fila e orei a Deus para enviar-me alguém. E Ele me mandou você. Agora entre na próxima fila e, caso você tenha suficiente confiança em Deus, certamente Ele enviará alguém para pagar a sua passagem."

Bruno Gomes
16/08/2011

Baseado em uma palestra do profº drº Severino Celestino.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

NA BUSCA POR SÁBIOS

Conta-se que o grande imperador Akror possuia 10 sábios. Eles eram chamados ''As 10 Jóias'', mais preciosas que as maiores riquezas do tesouro real.
Certo dia, Akror estava muito zangado. Sentou-se majestoso em seu alto trono, chamou os 10 sábios e os disse: Vocês estão aqui desde que eu sou uma terna criança e o povo afirma que vocês são os homens mais sábios do mundo. Todavia, eu nunca fui capaz de aprender absolutamente nada com vocês. Qual o problema? Vocês me acompanham há 30 anos e eu continuo o mesmo. O que vocês estão fazendo aqui? Qual o utilidade de vocês?

Ao ouvir o questionamento, os 10 sábios permaneceram calados, dolorosamente constrangidos. Uma criança viera com um deles, pois desejava ver a corte. Ela sentou-se no chão, aos pés do trono de Akror.
Ao ouvir o imperador dirigir-se daquela forma aos sábios, ela começou a sorrir, quebrando o silêncio que se abatera sobre o salão.
Akror disse, irritado: Por que você está rindo? Isto é um insulto à corte! Seu pai não lhe ensinou boas maneiras?
A criança respondeu: Eu estou rindo porque estes 10 sábios estão em silêncio. Eu sei por que eles estão assim e você não sabe. Compreendo agora por que você nunca foi capaz de se beneficiar da presença deles.

Akror olhou para criança e perguntou, irônico: Então você pode me ensinar alguma coisa?
A criança respondeu: Sim, eu posso. Mas com uma condição.
Akror indagou: Qual?
A criança disse: Você deverá sentar aqui onde eu estou e eu sentarei ai onde você está. Então, você me perguntará o que deseja, mas como um discípulo e não como um mestre.

Sentindo o forte impacto, Akror contemplou o rosto inocente da criança e notou uma profunda antiguidade nos seus olhos, como se provindas de muitas experiências.
Ao que ela finalizou: A meta real não é trazer sábios ao seu palácio. O ponto é como você chega aos sábios, porque no próprio ato de se dirigir a eles, você aprende.

Conta-se que Akror sentou-se aos pés do trono, agora ocupado pela criança, e concluiu: Não há mais necessidade de perguntar nada. Simplesmente por estar sentado humildemente aos seus pés, eu aprendi muito.

Bruno Gomes
02/08/2011

Baseado em uma palestra de Osho.