domingo, 9 de maio de 2010

BATE PAPO COM JESUS



- Olá, bom dia Bruno!
- Oi! Caramba, você se atrasou hoje, hein?
- Me desculpe. É que são muitas pessoas para atender. Você entende, não é?
- É verdade. Ser o Governador da Terra não deve ser lá tarefa das mais fáceis.
- Pois é, não é realmente. Mas mesmo depois de 2.000 anos de trabalho eu não penso em me aposentar!
- Graças a Deus! Já pensou? Se você se aposentasse, o que seria de nós?!? Se com você por aqui as coisas já são como são, imagine sem você. Ademais, não pense que eu esqueci o que você falou em Mateus 20-28: que estaria sempre conosco "até a consumação dos séculos".
- Não se preocupe, afinal essa é a minha intenção.
- Ainda bem. Ademais, você nem ouviu o que eu tenho pra te contar.
- É mesmo. Vamos lá, me diga. Qual o motivo de você ter me ligado assim e marcado aqui na praça de última hora?
- Bem, é que ando meio triste. Às vezes eu penso se sou realmente digno de todo o seu amor...
- Como assim? Por que você está dizendo isso?
- Porque eu não consigo vivenciar o que você nos legou em toda a sua plenitude.
- Por quê? Você acha muito difícil viver de acordo com o que eu lhe ensinei?
- Afff, nem te conto... Perdoar os inimigos, dar a outra face quando uma for batida, esquecer as ofensas 70 vezes 7 vezes, retribuir o mal com o bem, dar dois mil passos quando alguém quiser dar mil, ter uma fé que transporta uma montanha, entrar pela porta estreita, orar e vigiar, multiplicar os talentos recebidos, arrancar o olho quando ele for motivo de escândalo, entre outras coisas mais. Puxa, cansa só de pensar em tudo!
- Mas recorde-se que não foi fácil nem para mim. Eu fui perseguido, caluniado, incompreendido... E ainda por cima terminei crucificado, lembra?
- Ah, mas você é O cara! Eu não sou o cara...
- (risos)
- É sério pô! Você é você, eu sou eu. Pra eu viver o nível de amor que você viveu, só daqui a, sei lá... milhares e milhares de reencarnações!
- Mas o simples fato de você se sentir tocado pela mensagem, quando antes você nem a dava atenção, já é um grande passo.
- Pode ser. Mas fico triste, pois eu sei que poderia amar mais, perdoar mais, ajudar mais, ser mais útil, ser mais caridoso... e mais um monte de coisas que você ensinou.
- Não seja tão exigente com você. A perfeição não virá de uma hora para a outra.
- ...
- Há quanto tempo você se tornou espírita e conheceu melhor a minha doutrina?
- Hum... Me tornei espírita aos 21 anos.
- Pois bem. Não faz nem 10 anos que você descobriu os meus ensinamentos e já quer que um par de asas brancas e luminosas nasça em suas costas!
- Ah, mas os seus discípulos foram chamados e imediatamente atenderam. E se tornaram grandes apóstolos do bem!
- Ai, ai... Você que pensa. Você não sabe o trabalhão que eles me deram. E eu nem preciso te lembrar que um me traiu e outro me negou, certo?
- Mas o Estêvão e o Paulo? Estêvão quando descobriu o evangelho de Levi na Casa do Caminho com o Pedro e o Paulo quando encontrou você no Caminho de Damasco se tornaram grandes missionários! A mudança foi imediata!
- Mas recorde-se que Estevão já era a bondade em pessoa desde antes. Paulo já era disciplinado desde a sua época como doutor da Lei.
- Mas eu estou sentado com você num banco de uma praça, coisa que você não fez com nenhum deles, e ainda assim eu não consigo. Além disso, há outros exemplos na história de pessoas que receberam o seu chamado e...
- Calma. Perdoe-me a interrupção. Mas agora chegou a minha hora de dizer: eles são eles, você é você!
- Ah, assim não vale! Você roubou a minha frase!
- Mas é verdade! Cada um com as suas necessidades, cada um ao seu tempo. Com isso não digo que você seja acomodado. Se esforce pela sua melhoria moral e pelo seu crescimento espiritual! Mas não faça da vivência da minha doutrina um tormento íntimo, perdendo a espontaneidade no seu comportamento e mantendo uma conduta extremamente policiada. Há atitudes suas cultivadas há várias existências. Não será uma questão de dias, semanas e meses que fará com que você as supere.
- Eu me esforço tanto. Quem ver o meu exterior transbordando serenidade e sorrisos nem desconfia das lutas contra as imperfeições que travo interiormente.
- E eu conheço todas essa suas batalhas. E esse é o bom combate. Descobrir os defeitos, reconhecer eles e lutar por vencê-los, paulatinamente e sem culpas. Dia a dia, se esforçando por ser hoje melhor do que ontem e amanhã melhor do que hoje.
- Mas esse é o problema! A falta de linearidade no progresso. Tem dias que eu sou melhor do que o dia anterior. Mas um dia depois eu faço algo e já sou pior do que a semana toda!
- Como você mesmo diz: só o Pai! (risos)
- Mas que situação essa minha, né?
- Essa é a situação de milhares de discípulos meus que aderiram sinceramente a Boa Nova. A vontade é tão honesta, que os pequenos insucessos geram insatisfação. Eu compreendo. Mas ame: esse é o melhor conselho.
- Você fala como se isso fosse a coisa mais fácil do mundo, né?
- Mas eu nunca disse que seria fácil. Eu disse que valeria a pena.
- Eu tento, tento. Mas...
- Lembre-se do meu Calvário. Antes de chegar ao cume do Gólgota eu cai três vezes, pois o peso do madeiro era imenso, fora os ferimentos que eu tinha pelo corpo desde o Getsêmani e o cansaço físico. Mas me reergui nas três oportunidades, demonstrando que o problema não é tropeçar e sim não levantar-se e permanecer no chão. Viu? Tudo na minha vida pode te dar um ensinamento. Ademais, eu contei ainda com a ajuda valiosa de Verônica e do Cirineu.
- É, eu sei...
- Não há outra alternativa a não ser seguir em frente. Errar aqui, acertar ali, até que o ato positivo se torne tão constante e natural que se transforme em um automatismo benéfico. Você já sabe o caminho. A rota é clara. Você deu o primeiro passo. Agora é só não se deixar desestimular pelos malogros e sim aprender com eles. Seja o sal da terra: esteja no mundo para influenciar positivamente o mundo!
- É o que tenho me esforçado por fazer... Espero que dê tudo certo.

Primmmmm!

- Ups, desculpa Bruno.
- O que foi isso?
- É o meu celular.
- Puxa, você não podia ter colocado ele no silencioso enquanto conversávamos?
- Mas não posso. Esqueceu que eu sou o Governador da Terra? É uma chamada de outra pessoa para conversar, em outro banco de praça, em outro lugar do mundo.
- Ah, tá. Posso saber de onde é essa chamada?
- Claro que sim. É de um rapaz da Nova Zelândia. E nem te conto qual é o problema dele.
- Qual é?
- Não quer adivinhar?
- Ah, eu não sou o Cristo pô!
- (risos)
- Fala aí.
- O problema dele é o mesmo que o seu.
- Fala sério!?!
- Pois é. Mais alguém que não consegue vivenciar os meus ensinamentos na sua totalidade e se angustia por isso.
- Então tá, vai lá que eu não quero te atrasar. Converse com ele direitinho, pois eu sei o que ele está sentindo nesse momento, ok?
- Pode deixar. Promete que vai deixar essa tristeza para trás e pensar em tudo que te disse?
- Claro, vou sim. Tenho que aproveitar a nossa conversa, afinal não é a qualquer momento que converso assim com você!
- Muito bom! Vou indo.
- Espera! Antes de você ir posso te dizer uma coisa?
- Claro! O que foi?
- Obrigado por tudo. Obrigado pelo seu amor e por sua presença constante em minha vida. Não sei o que seria de mim sem você. Obrigado por ter nos deixado tantos ensinamentos que nos confortam e consolam sem cessar. Perdoe os meus muitos erros e me desculpe por apenas pedir coisas sempre, quando na verdade eu deveria agradecer pelas bênçãos inumeráveis que você me oferece diariamente. Perdoe a minha imaturidade, a minha infantilidade e as minhas teimosias. Obrigado pela minha família, pelos meus amigos e tudo o mais.
- Ah, não precisa agradecer!
- É sério. Eu amo tanto você. Queria apenas que você soubesse disso. Em verdade, em verdade te digo: você é muito importante na minha vida!
- Ah, agora foi você que roubou a minha frase!
- Foi mal! (risos)
- Valeu Brunão! Fui.

Bruno Gomes.
09/05/2010

4 comentários:

Ricardo Dib disse...

Ôxi! Ta fumando maconha, rapaz?? kkkk!

Adorei esse bate-papo. Tem que ir pra um livro e/ou um site de alcance mais amplo!

Abraço.

Bel disse...

Me chorar...
Assim não vale...
Me sinto muito assim também.
Me faltam paciência e equilibrio.
Mas é assim que nós caminhamos.
Um passo de cada vez.
Bjs!

Ju Marques disse...

Muito legal, Bruninho!
Acho que todos sentimos um pouco isso... são as marcas latentes da imperfeição.

Agora, que, hein?! Jesus tá tão moderno!! De celular e tudo!

E vc, como sempre, falando o que não deve. Onde já se viu reclamar do atraso de Jesus!? :P

Bjo!

OBS: Bel até hoje chora! São mtas emoções!! :)

Luisa disse...

Oi Bruno! Que fantástico este diálogo hein... fiquei encantada! Conversar com Deus é sempre uma reflexão. Adooooro! Beijos