domingo, 6 de junho de 2010

PALESTRA DE FLAVINHO

Uma das palestras que eu nunca falto no Paulo e Estêvão é a do meu amigo Flávio Santos.

Eu sinto que é uma palestra que realmente agrega algo, afinal de contas eu sempre saio dela com a nítida sensação de ter aprendido alguma coisa extra.
Dessa forma, me esforço para todos os primeiros sábados do mês estar lá para assisti-lo.

Além dele ser um grande amigo, ele foi o meu primeiro evangelizador na JEPE (Juventude Espírita Paulo e Estêvão) junto ao Ricardo Dib, quando eu resolvi adentrar ao universo do Espiritismo.

Para falar a verdade, uma coisa que pouca gente sabe é que o Flavinho já falou até no meu noivado (quando eu era noivo).
Já participamos de inúmeros trabalhos juntos na seara espírita; então, de certa forma, o rapaz já faz parte do meu rol de amigos queridos.

Ontem, sábado, dia 05/06, assisti mais uma de suas palestras.
E aconteceu algo interessante que eu já vinha percebendo há muito tempo nas palestras dele: a enorme quantidade de nomes de grandes personalidades que ele fala no momento doutrinário.

Estudiosos, pesquisadores, cientistas, filósofos, grandes personagens de todas as áreas do comportamento humano, em uma seqüência impressionante.

A minha querida amiga Edina, que também estava na palestra, me perguntou ao final:
"- Mas Bruninho, que palestra maravilhosa, né?"

"- Nossa, nem fala! Foi muito legal", respondi.

"- Eu me emocionei em algumas partes", complementou ela.

Então eu a perguntei uma coisa que a deixou algo confusa:
"- Mas você viu a quantidade enorme de nomes que ele falou na palestra? Só faltou falar o nosso!"

Para vocês que estão lendo esse texto e não estavam lá, eu vou tentar transcrever os diferentes nomes citados (pelo menos os que eu recordo por conhecê-los, pois foram inumeráveis).
Vou ter até o cuidado de colocá-los em ordem alfabética:

Amélia Rodrigues
Calvino
Camile Flammarion
Carl Gustav Jung
Chico Xavier
Constantino
Danton
Decartes
Diderot
Emmanuel
Engels
Erich Fromm
Francisco de Assis
Galileu Galilei
Giordano Bruno
Irmã Dulce
Isaac Newton
Joana D'arc
Joanna de Ângelis
Joseph Ignace Guillotin
Kant
Karl Marx
Kate Fox
Lutero
Manoel Philomeno de Miranda
Maomé
Marat
Margareth Fox
Moisés
Natanael
Orígenes
Rainha Maria Antonieta
Robespierre
Rousseau
São João da Cruz
Sigmund Freud
Simão bar Jonas
Sr. Fortier
Sra. Plainemaison
Tereza D'ávila
Torquemada
Victor Hugo
Voltaire
William Crookes

Isso sem contar os que já esperávamos, como Jesus e Allan Kardec, como é óbvio.

Ou seja, foram 46 nomes e eu tenho certeza que estou esquecendo de mais alguns.
Na próxima vez eu vou com um caderno e uma caneta para anotar todos.

Isso deixa qualquer um doido e eu já falei isso a ele.
Só faltou ele falar os famosos "alhures" e "algures", velhos conhecidos nossos.

"- Mas você viu a quantidade enorme de nomes que ele falou na palestra, Edi? Só faltou falar o nosso!", perguntei para Edina.

"- Ah, Bruninho! Só você pra me fazer rir, viu? Nosso nome!"

"É claro! Bruno e Edina, grandes apóstolos do Espiritismo baiano! Ele tem que falar alguma coisa de mim, afinal eu trabalho tanto!", completei.

"Ah, Bruninho! Só o Pai você, viu? (risos)"


Bruno Gomes.
06/06/2010

3 comentários:

Ricardo Dib disse...

Só faltou ele falar a sequencia de nomes mais importantes do momento: a escalação da seleção brasielira! hehehe!

As palestras de Flávio são um show à parte. E eu tive o privilégio de ver a PRIMEIRA palestra dele. Como ele tava nervoso... rs.

Ricardo Dib disse...

A primeira palestra de Flavinho foi numa quinta-feira, 17 de agosto de 2000.

Há(quase)10 anos... direto do túneo do tempo!

Abraço.

Ju Marques disse...

Flavinho é show de bola!